Quem usa o Instagram apenas para ver fotos bonitas deixa passar batido uma boa pesquisa de moda e novos talentos. Aprendi cada vez mais usar essa ferramenta tão viciante para pesquisar tendências e conhecer novos artistas.

Nunca tinha ouvido falar desse Paul Andrew. Alguém aqui já? Encontrei o perfil dele em uma dessas tardes em que vamos clicando de nomes em nomes diferentes e indo atras de coisas interessantes e bonitas para os olhos.

Britânico radicalizado nos EUA, fez sua primeira coleção de sapatos em 2013 e desde então tem ganhado diversos prêmios revelação como estilista da nova geração que veio para ficar.

O insta dele é super bonito de seguir e cada dia aparece com um novo modelo (alguns mega modernos e outros nem tanto) mas que agradam a quase todas as mulheres.

Vem futricar também : @pandrewdesign

Untitled-1

 

Poucas pessoas souberam antes da hora, mas a verdade é que estamos lançando uma marca de Espadrilles ultra descoladas que vocês vão adorar!

A Framk veio para fazer com que você queira usar Espadrilles em qualquer situação e não só para te deixar confortável. Porque não usar desde a praia até para sair a noite com uma calça de couro e mesmo assim estar super descolada e moderna? Durante essa semana estaremos expondo nosso novo produto no Salão +B da ABEST lá no MuBE! Nesses dias estarei mostrando aos poucos um pouco do que fizemos com carinho para vocês!

CONVITE

 

Maaaaas, não só de FRAMK sobreviveria o Salão +B kkkk…

Por isso, convido vocês a conhecerem também as outras marcas show que o Salão expoe. É só marca musa. Quem estiver na cidade para o SPFW deve dar um pulo por lá para  ver as novidades!

convite_marca2

 

Eu espero vocês por lá! Oba!

 

 

Na hora de comprar um sapato sempre acabamos encontrando modelos com preços mais salgados do que gostaríamos de pagar.

A questão é: vários são realmente absurdamente caro pela qualidade que você recebe. Mas, e outros? Alguns realmente valem a pena pelo cuidado e carinho artesanal que recebem de seus “criadores”.

Ví esse vídeo do Vuitton e fiquei vidrada nos seus 5 minutos. Pra mim ele explica exatamente o porque o universo dos sapatos é tão fascinante!

Imagem de Amostra do You Tube

Vale o play!

Beijos!

 

Em épocas de brilhos e bordados, encontrar um vestido longo básico e não menos importante acaba se tornando uma tarefa não tão fácil. Assim que ví esse  Reinaldo Lourenço, me encantei para ir a um casamento. Fiz questão de fotografar (na varanda de casa mesmo) no dia em que o busquei lá na Dress & Go só para provar que “o céu é azul pra todo mundo” e que até as peças mais simples e sem brilho têm a sua chance de  brilhar!

O rosa pink com recortes – da Blue Label da Carina Duek (que é desenhada junto com seu pai, Tufi) –  é de parar o quarteirão também! Só fazer aquele detox no dia e carregar seus recortes, porque ele é simplesmente divino.

ps: não liguem que ele esta longo demais. Como foi no dia em que busquei os vestidos, eles ainda estavam sem a barra certa… e amassavam enquanto eu andava! (e olha que o salto era 16 cm! rsrsrs!)

IMG_8694

IMG_8708

IMG_8714

Facetune

Facetune

Facetune

Os dois foram alugados lá na Dress and Go, que está cada vez mais com um acerto inacreditável. Só tem coisas incríveis! O próximo sera um Adriana Barra que lançou nessa semana. Vocês não fazem idéia!

Gostam?

bjs

 

Fotos: Luciana Faria


 

Esse é um daqueles textos maravilhosos que simplesmente aparecem na sua frente e faz com que você leia 10 mil caracteres como se fossem 100.

Ele (o texto), não foi escrito por mim. Adoraria que tivesse sido. Mesmo assim, bem que poderia. Escreveu tudo que eu escreveria se tivesse o mesmo dom. E como Mariliz Pereira Jorge, eu também dedico ele ao meu grande amor.

you

PARA VIVER UM GRANDE AMOR

” Com todo respeito a quem diz que viver só é uma questão de escolha, não sou metade evoluída. Pra mim viver um grande amor é questão de sobrevivência. Desde que me conheço por gente e que conheço gente do mundo todo, toda gente que eu conheço quer viver um grande amor.

Que graça teria a vida se não fosse pra isso, se não fosse para encontrar um amor grande desses? Um desses que fosse pra sempre. Um desses de perder o sono, a fome, o tempo. Um que balance, que chacoalhe, que acabe com as unhas, com o juízo, com a sanidade mental. Mas que depois acalme a alma e sossegue o coração.

Mas para viver um grande amor é preciso viver amores que não sejam grandes, amores que venham pela metade, que cheguem pra depois partir. Daqueles que não deixem saudade, apenas lembranças, e a certeza de que não eram grandes o suficiente.

Passei minha vida procurando por esse amor. Pensei ter encontrado aos 15 quando a gente acha que vai morrer quando o grande amor, que nem era tão grande, mas a gente não sabia que não era grande, acaba.

Depois vieram o Marcos, Andre, o Justin, o Guilherme, o Felipe. Foram todos meus amores, mas nenhum o tal grande amor, que você só descobre que é o tal quando finalmente se depara com algo que nunca sentiu, nunca viveu e nunca experimentou.

Até que um dia, você dá de cara com ele. E nem reconhece, porque ninguém sabe que cara tem o seu bendito grande amor. Não vem com etiqueta, não brilha no escuro, não dá “match” quando aparece na sua frente.

E você pode perder o bonde do grande amor. Tenho certeza que ele passa algumas vezes por nossa vida, mas nem sempre estamos prontos ou queremos subir – e às vezes é ele que não para. Você nem percebe que pode ser o tal grande amor, porque amores grandes, pequenos e vagabundos começam quase sempre do mesmo jeito.

Eles vêm recheados de sorrisos descontrolados, abraços calorosos, beijos sem-vergonha, conversas sem fim e uma vontade de que as noites não acabem, que os finais de semana sejam eternos. Você quer dar bom dia. Bom almoço. Boa noite. Bom banho. Boa academia. 

Mas o grande amor quando é grande mesmo continua assim pelos dias que se seguem, pelos meses que se vão, pelos anos que se passam. Dá trabalho. É preciso ter um saco de paciência porque ele nunca chega pronto. A gente precisa sovar, amassar e deixar descansar para que o amor cresça e se torne o grande amor.

E ele cresce. E quando você menos espera, percebe que não tem apenas um grande amor. Tem um amigo, um companheiro, um parceiro. Alguém que está ali para encarar numa boa toda a ladainha da alegria e da tristeza, da saúde e da doença. E tudo começa a fazer sentido.

E, então, é preciso estar preparado para dizer eu te amo sem amar mais ou menos, e encarar o tranco de alguém que te ama como você sempre quis, mas nem sabia como era porque nunca tinha vivido um grande amor. É preciso deixar que o amor sufoque, que invada o coração e o pulmão, porque não há grande amor que deixe o fôlego impune e a mente sadia.

Não, não existe a sorte de um grande amor tranquilo.

Esteja preparado para ter briga e ter raiva, ter choro e ter vela. E depois pegar a raiva, apartar a briga e implorar pelas pazes se preciso for. Mais vale um grande amor no coração do que ter razão numa briga de amor.

E depois de tudo, no fim de tudo, quando você deita naquele braço, no meio daquele abraço, tem a certeza de que aquele é o melhor lugar do mundo. E percebe que o seu mundo ficou melhor assim.

Pode ser que ainda inventem, pode ser que para muita gente haja outras motivações, mas eu ainda não conheço nessa vida nada que seja melhor do que viver uma história a dois. ” 

Obrigada FOLHA E MARILIZ PEREIRA JORGE pelas sabias palavras que deveriam chegar e alegrar ao máximo de pessoas possíveis.